Homenagem ao inesquecivel !!!

Gostaria de homenagear e esclarecer que esse jogador foi e será eterno nos corações que entendem de sentimento, pois ele jogava e ensinava a como ser um esportista com AMOR, amor pela camisa, pela vida, pelo respeito com os seus, enfim estou muito triste e confesso que emocionado, choro e relato isso, pois é triste perder uma pessoa de valor, e o mais triste é saber que as pessoas esquecem tão rápido disso, pois é assim e não tem jeito, poucos valorizam, mas isso ja é uma outra história né ... aqui vai meu respeito a vc grande atleta corinthiano nato, atitude socialista, um cara que lutava pela verdade, orra as entrevista desse dinossauro é de surpreender, pois a mente dele é e será rara, bom não consigo mais escrever, triste mesmo, quero te homenagear com a minha verdade ... nunca mais vou tirar vc dessa página CAMALEÃO DOWNLOADS sei que dentre de um mês pelo menos umas 120 mil pessoas vai ver essa homenagem, e dentre os próximos meses isso se multiplicara, e pra sempre aqui na primeira página estara meu respeito ati !!! Sócrates minha admiração eterna que Jesus Cristo esteja contigo !!!

Discografia - Zelia Duncan


Zélia Duncan (Niterói, 28 de outubro de 1964) é uma cantora e compositora brasileira. Começou a cantar profissionalmente no início dos anos 80, e sua estréia como solista aconteceu em 1987 no Botanic, no Rio, quando ainda adotava o nome artístico “Zélia Cristina”. Em 1990 lançou pela Eldorado o LP “Outra Luz”, mas, insatisfeita, passou um semestre nos Emirados Árabes, cantando em um hotel.

Voltou em 1992 e gravou uma faixa no songbook de Dorival Caymmi produzido pela editora Lumiar. Mudou o nome para Duncan (nome de solteira da mãe) e passou a ser incluída numa nova safra de cantoras que surgiu na década de 90, ao lado de Adriana Calcanhoto, Cássia Eller e Marisa Monte. E 1994 saiu o álbum “Zélia Duncan”, incluindo o hit “Catedral” (versão do sucesso da cantora alemã Tanita Tikaram), que jogou os holofotes sobre a violonista, compositora e cantora de voz grave.

Em 1997 gravou “Intimidade”, que a levou para uma temporada no Japão e Europa. No ano seguinte, é a vez de “Acesso”, produzido por Christiaan Oyens, com maior teor folk e pop e com participações de Jacques Morelenbaum e do grupo Uakti.

Em 2004, Zélia lança “Eu Me Transformo Em Outras”. Baseado no show homônimo, o disco traz interpretações da cantora que deixam de lado a marca pop que a consagrou para experimentar os caminhos do samba.

O álbum seguinte foi “Pré Pós Tudo Bossa Band”, lançado em 2005 pela Duncan Discos. A canção título, que abre o CD, é um composição de Zélia com Lenine. Além disso, o trabalho também traz parceria com Mart’nália, Moska, Pedro Luís, Beto Villares e Christiaan Oyens.

Em 2006, a cantora se uniu aos irmãos Serginho e Arnaldo Baptista e o baterista Dinho e saiu em turnê internacional na badalada volta dos Mutantes, substituindo os vocais que um dia foram de Rita Lee. O sucesso das apresentações na Europa foi tão grande, que Zélia foi convidada a integrar oficialmente a banda.


Discografia: Link:1 Link:2 Link:3 Senha pra descompactar arquivo rar: www.camaleaodownloads.net

1 comentários:

EUOSSOMP3 5 de dezembro de 2012 10:30  

Meu amigo Camaleão.
Gostaria que você mudasse o endereço de meu site pois agora estou com novo endereço. Anote aí:

www.euossomp3.com

Grande abraço e sucesso.

  © Desing by CAMALEÃO 2009

Back to TOP